de Stefan Duncan Gallery

22.10.06

e a tempestade veio.

Gina McKenna Burns

colheu-me no caminho. estava por todo o lado. fora e dentro de mim.

à tempestade interior tentara eu fugir. amarfanhando-a. tentando não amarfanhar mais ninguém ao fazê-lo. não sei se consegui. não posso pensar nisso. desde o início que esta caminhada é e será solitária. com pequenos encontros condenados a nada mais ser que ocasionais conversas de caminho.

trago comigo o amor único que vivi para além dos que pari. agradeço a quem mais me quer dar, sorrio mas não aceito. não teria como retribuir. sei isso há muito tempo. tive o privilégio de amar e ser amada. na vida as coisas muito boas não se repetem. ou muito raramente.

quando, por acidente, tentam que a vida se me repita, fujo. e por isso fugi. mesmo desta vereda.

súbito veio a natureza em meu socorro e trouxe a intensidade exterior que me faltava.
assim, misturado o meu uivo na caverna de mim, ao uivo sibilante do vento. misturadas as lágrimas que caiem para dentro dos olhos às que o céu deixava cair numa torrente, limpei-me de medos e, de uma certa e absurda forma, ressurgi.

mulher excessiva - alguém um dia me chamou. coisas de poeta. mas neste dia apetece-me acenar-lhe daqui. talvez tenha razão. afinal os poetas servem para quê? - para encontrar as razões onde a razão não chega.

e no meio da tempestade que saúdo, sigo. sem poisar o cajado, ou deixar de viver.

Comments:
weg

imagem forte. texto mais ainda.
ressurges. assim eu gosto de ve-la amiga.


beijo forte,
com carinho

della
 
saúdo o teu regresso
e
gosto muito do texto

( deixa de ser bicho do mato ,porque mesmo esses carecem de companhia )
 
Coisas boas repetem-se se deixarmos que sim...
__________

:) Abraço!
 
Eu sou bruxinha...sabia que virias.
Para quê fugir?
Mulher excessiva, que és mesmo!
Mas afinal precisamos dos teus excessos, acalmias e tempestades, para nos abanar, emocionar.
Beijinhos
 
Pela primeira vez te visito. E como gostei. E como também neste caminho me encontrei...

Beijos de mim.
 
Um texto dorido, revejo-me nele.Bem vinda ao "clube"...
 
eu tinha comentado e não gravou snif!!!!


e esse alguém que te chamou mulher excessiva lá o sabia ahahahahah

e tempestades interiores também conheço, esquece essas coisas

é bom ler-te de novo

bem regressada. vai e vem que eu vou espreitando!

beijos
 
gravou!!!!!!
 
hoje reli com redobrada atenção
.
.
não me apetece dizer nada
.
mas apetece.me deixar um BÊJE
 
Pela 3ª vez escrevo espero que não caia.
Falavas no teu comentário para me preparar que a tempestade vinha para os meus lados. Isso não é possível, a tempestade já aqui chegou, a tempestade sou eu.
Espero querida amiga comadre, que a tua tempestade vença a tormenta que te envolve.
Desejo que aqui continues e espero ancioso pelas tuas visitas.
Beijos
 
paso a dejarte un abrazo y una linda semana
besitos


besos y sueños
 
Obrigada a todos pela visita. Ainda não estou muito virada para a net mas cá vou voltando.
---------
Caminhos, não estou sob tormenta já. O que pode atormentar-me é que, forças exteriores a mim, me sufoquem a ponto de deixar de escrever. Não que escreva bem, sou consciente, mas é-me vital desde a infância.
............
Freya, estás melhor? besitos

----------

Às Cemadres bejes moures. ;)

:::::::::::::::::

A todos beijos e vão voltando :)
 
Olá
É a primeira vez que aqui venho e concerteza regressarei mais vezes.
Tudo aqui é bonito: som, palavras e emoções.
Um beijo
 
A única coisa que me ocorre querida amiga é; deixa-me abraçar-te, passar para ti um pouco desta lava que transborda em meu coração ilhéu...
Tu entendes...

Muito particular e doce beijo
 
aqui tudo é de pasmar
 
olá virada de costas para a net.

(tanto pediste chuva que tenho a garagem inundada)

Bom dia!
 
Uma mulher nunca é excessiva quando deixa que as palavras teçam bordados de sol no meio da tempestade!...


Um beijo...
 
Weg. vou conta-te uma história só a ti, aqui que ninguem mais nos ouve...havia um rapaz/homem, que tinha tudo o que dizes no Post acima "chuva". Vivia na cidade num palácio, BM serie5, marcas várias, atelier de trabalho...e escrevia, pintava, desenhava...mas sempre angustiado,apertado,sufocado...um dia "choveu" e o rapaz deixou tudo na cidade,foi viver para o campo numa casa velha quase a cair, sem luz, sem água...um dia veio o Sol e surgiu a luz, choveu e teve água... (no post acima digo mais e...depois conto o resto) Beijos
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.