de Stefan Duncan Gallery

3.9.06

tentações.

MercurySoft1

como se fosse um deus, dou nome às árvores. não a todas. às que conheço bem e que me acolhem.

na adolescência encontrei uma de raízes expostas, que mais que ter dois ramos parecia geminada. reencontro-a agora. só a margem subiu e a casca da árvore parece mais rugosa. é a raízes. corro para ela como para um amigo distante há muito tempo.

o ar está pesado. a minha pele arrepia. costumo dizer que dou choque nestes dias. trovoada.

- e não chove? abafa até à alma.


Svalbard

desabafos apenas. vivemos numa estufa de gases e hoje eu tenho a sorte diferente de ter um pouco mais de ar.

- amanhã vai chover...

- como é que sabe avô?

- olha para a lua. quando ela leva um círcalo, se o vento não mudar ao outro dia chove.

e acertava sempre. mudaram tanto os tempos.
o calor mexe com as minhas memórias mais profundas, arrumadas. tempo de tentações - adolescência.

Edyta Pilichowska

rosto e sentir de mulher em corpo de criança.

- aonde se meteu aquela rapariga? com esta trovoada de meter medo? ela sabe do perigo...

no terraço, claro. onde havia eu de estar se não havia morros perto, na primeira cidade que habitei? dali avistava o rio, outro rio, a receber os raios cruzados, luminosos.
nunca gostei de fogo de artifício.

mas são tão belos os raios de fogo a descer daquilo a que chamamos céu!

- que estás tu a fazer com esta trovoada cruzada, no topo de um quarto andar? enlouqueceste?!

ensopada de abençoada água, não lhe respondia. sabia-lhe a razão. descia a casa e ficava a ver da janela a tempestade.

tentações. sempre as aceitei se maiores que eu.

as primeiras foram num dia assim e ainda cá ando. fico-me junto à árvore sem medo. quantas trovoadas não viu ela já?

sobreviventes.


Comments:
WEG

...você é uma tentação...beleza ao ditar a tempestade nos olhos de menina...entendes as árvores, a chuva..a água. gosto de sabe-la forte o suficiente para aceitar as tentações maiores...e tens razão: são as únicas que vale a pena ceder.
amei a canção.
beijos carinhosos

della-porther
 
odeio tempestades, odeio tempestades, odeio tempestades lololololol

(e fogo de artifício! a que chamo fogo de vista, coisa nortenha)

e foguetes! e morteiros. (e todas essas coisas barulhentas que me assustam!)

Dizia um amigo meu: coloca as mãos na árvore. Através da energia dela ficas a saber tudo o que ela conhece.

(nas árvores e em todas as "cousas")

Magias antigas que poucos ligam.

(adolescência... um tema onde não entro!)

Mas leio aqui.

:)

Bj
 
Provavelmente essa árvore era um salgueiro, árvore que tende a fundir-se se próxima de outra da mesma espécie.
As árvores são mesmo sobreviventes, é pena que apesar da sua idade não sejam respeitadas.
Quase oiço a chuva!~
Beijinhos
 
no se cómo llegaste a mi castillo pero me alegro ke lo hayas hecho, pues, tu sitio es estupendo. lamento no haber entendido del todo el idioma, pero disfruté mucho de las imágenes y de lo poco ke pude leer.

un abrazo.
 
Um árvore de raízes soltas ou duas que se uniram no tempo...de fogos fátuos fugi, no topo de um quarto andar se colhe a luz dos deuses, se lança ao vento anseios, para que a loucura não me tome os sentidos...por isso olha para a lua, para o sorriso da lua, será chuva? Ou apenas o infinito pensamento...

Doce e mágico beijo
 
Coincidência...também eu ainda hoje fujo sempre para a janela numa boa trovoada. Em África, quando miúda vinha sempre para a rua nas tempestades tropicais ver os relâmpagos. Uma atracção pelo desesperos da mãe natureza onde nos sentimos pequenos e impotentes perante tal força.

Beijinhos.
 
Eu sinto um misto de atracção e temor, perante as forças da natureza. Também não fujo das trovoadas. Nem das tentações. :)**
 
Excelente!!!
Parabéns.
Até sempre.
 
Sons da Natureza, palavras vindas da alma...Estou maravilhada!
Obrigada por estes momentos especiais aqui na tua casa.
Beijo
 
Obrigadaa todos. Mágica, especial e estimulante é a força da vossa companhia.

Beijos carinhosos.

:)

weg=caminho
 
Tão sinética, tão apressada, tão fria...

Para um instante no teu caminho...


Doce e mágico beijo "Feiticeira do 4º andar"
 
Mago, apressada fria? com este calor? nem que fosse feiticeira mesmo.

Estou é com muito trabalho e a derreter de calor mas primeiro de carinho por vós.

Beijo doce para ti e para os demais.

:)

Obrigada

(já me tinham chamado tanta coisa, mas fria? esta agora! lololol)

Aquilo acima sou eu a pensar alto ;)
 
PS agora moro ao rés do chão e quase ao rés do mar.

:)
 
Não te chamei fria, apenas frieza na palavra...apressada porque disses-te tão pouco...desculpa mas não te acho fria...tens razão com tanto calor, quem consegue ser fria!Eu também moro bem junto ao chão de frente para o mar...

Doce beijo
 
Ah já me esquecia, qual era o teu outro blog?...
 
Tásse bem, mago, tásse. :D lolol

Blog? eu tenho outro e tu desconheces? mas é anunciado em todos os telejornais e vem no jornal da caserna blogueiro...

ahahahah

Beijo carinhoso
 
Continuo a zero, diz-me o nome devagarinho como se eu tivesse 5 anos...não custa nada...

Doce beijo
 
alquimista, por mim dizia-te ao ouvido até, mas não tenho outro blog.

Não há outro sítio na net onde eu escreva sem ser aqui, se isto é escrita :).

Alguém te informou erradamente. Sorry.

ps, ainda bem que não te enganaste na grafia e escreveste sinética e não cinética ahahah

Beijo carinhoso mesmo.
 
Ok...acontece a esta hora começo a ficar pitosgas de cansaço e ainda tenho que trabalhar até às 22, pensei ter lido algures que terias tido outro espaço...Sorry digo eu que estou para aqui a chatear-te com a minha curiosidade...de qualquer forma não é importante, valeu por me ter metido um bocadinho contigo...e olha lá feiticeira, eu adoro gente que me dê luta...e gosto particularmente do teu espaço...de ti que é a mesma coisa...


Doce e terno beijo mesmo
 
também gostei deste bocadinho, acredita. :D

Mas mal tenho tempo para manter este, quanto mais dois.

Beijos e vai aparecendo.
 
PS, ter tido não é ter.

;)
 
Ok...ok, não te preocupes, perguntei apenas, estava a tentar arranjar um fio condutor ao facto de me tratares com alguma familiaridade, simpatia, sei lá...no fundo estava a ver se reconhecia no meio destes sons da natureza que estão à tua volta...a minha curiosidade éra apenas, mera...


Beijinho
 
A simpatia existe. Também eu gosto, e muito, do teu blog. Trato toda a gente q leio com familiaridade, não sou dada a vénias.

Que seria da aventura do homem sobre a Terra se não fosse a curiosidade?

:)

Beijinho.
 
Pois, eu até nem sou lá muito em relação às pessoas...o mundo está cheio de coisas tão bonitas para se ver, para fazer, tantas peças para escrever, tantas telas para pintar, tantas pessoas para ensinar...tana brisa para sentir...há mais mundo para além da curiosidade...a minha aventura está para lá do que possas entender, falo de questões mundanas é claro...
 
também não chamaria a mim própria mundana.

Se tiveres em conta que o que escrevo é sentido e vivido, pouco se deve assemelhar à ideia que tenho de mundanismo.

Mas não tratar por tu gente que leio e de que gosto virtualmente não me parece abusar do tempo que me sobra.

até porque eu viajo mas não adentro demais do mundo dos blogs.

Se pintas passa palavra de onde ver-te a obra. Gosto de toda a arte.

:)
 
Estava a tentar escrever o post acima e distraí-me da leitura.

Talvez entenda um pouco mais do que pensas desse viajar que referes.

Ainda bem que fazes o caminho, já que há quem o conheça e lhe fuja.

Foi o que me atraiu e atrai no teu blog.

Mas como imaginas, não vou desenvolver esse tema aqui.

Obrigada.

Beijo e força na viagem.
 
trovoadas
gosto de as ver, sentir, cheirar
apreciar
e das árvores, se falassem tanto tinham para contar
...

gostei

:)
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.