de Stefan Duncan Gallery

1.9.06

o sobreiro.


Katharina Niemeyer

cruzo com um pastor que me não vê. se visse levaria a mão, num breve cumprimento, à aba do chapéu que nunca tira e seguiria o seu destino a passo lento. vive o dia com o que leva no guardanapo atado com um nó ou num talego: pão e queijo de ovelha ou pão e um naco de toucinho da matança do ano. água há-de encontrá-la. sabe os ondes todos da planície.

olho-lhe as rugas com um respeito novo - sulcos abertos pelo arado da vida dura, que outra não conheceu.

as minhas começaram a surgir, poucas mas fundas como as dores que tive.

regresso ao rio. o sol hoje está estranho, encoberto, bisonho. não há muitos ruídos de insectos nem de aves.


Andy Ilachinski

o calor, no entanto, mantém-se. também eu trago um pão e um queijo para o caminho. foi-me dado. dura muito este pão mas é pesado. há beira rio há poejos. quando me der a fome faço uma açorda antes que os ovos, que aceitei receber, se façam em gemada e estraguem tudo.

leve de uma noite bem dormida, respiro fundo. o rio não espelha o céu. as pedras parece que flutuam por não se ver à transparência o fundo de água. não arriscarei mergulhar aqui.


Katharina Niemeyer

poiso a mochila. sento-me direita. costas com o tronco exposto de um sobreiro. sinto a seiva passar por ele e em mim, correr da terra para o meu sangue e dar-me força nova. todas as minhas dúvidas e inquietações parecem ter sido devolvidas à terra pelas raízes da árvore.

e eu amo o barro quente da planície como se amasse um homem.


Comments:
Texto interessante.

Cumprimentos
 
Nem parece um comentário teu, mago...

Que frieza de tom!

:)
 
eu amo as pedras, tu o barro! :)

a Vida de Vidro, a água.

Todos nós recorremos a algo da natureza para ir buscar a energia que falha.

bom dia para ti :)**
 
Sabes Teresa, eu também amo as pedras, a minha casa parece uma pedreira lolol.

Outra coisa, tropecei outro dia nuns poemas, li-os em voz alta, no meu teste, Passaram com positiva alta.

beijos.

:)
 
Saboreias o dia e a terra como um fruto roubado num pomar. Tem a polpa do sol dentro dele e a seiva deixa-te os lábios doces...
Delicias-te enquanto as tuas raízes fecundam a terra!...

Um beijo...
 
Nunca to confessei... mas o Alentejo, vivido por alguém que o ama, tem um calor que faz muito bem aos sentidos!
E o teu texto tem um sabor ao poejo que ainda ontem colhi e saboreei.
Obrigado.

daniel
 
Que bonito, Frog, se fosse dada a corar tinha sido desta.

Beijo. :)
 
Daniel, que bom teres confessado isso. É terra que nos prende, terra quente com meio sabor a África já, mas com gente tão portuguesa que faz crescer a alma.

Amo as ervas da nossa terra e uso-as.

:)

beijo.

Obrigada.
 
Que ligada ao sabor da terra, essa tua caminhada! Sente-se o cheiro do Alentejo nas tuas palavras. **
 
por detrás de tudo o que falas, existe uma palavra alentejo

"todas as minhas dúvidas e inquietações parecem ter sido devolvidas à terra pelas raízes da árvore"
assim é esta/essa terra
...

:)
 
Obrigada vida de vidro, se sentes assim, valeu a pena a caminhada.

Bj.

:)
 
É verdade Girassol, o Alentejo é uma intensa vida outra que me acompanha aonde quer que esteja. Terra intensa e sã de gente sã.

Beijo.

BFS

:)
 
Apareceu a tua resposta à pergunta apenas pensada?
Milagre!!!!!
Um texto duma vibração enorme, um sentir verdadeiro, amor-entrega à terra e tudo o que ela nutre.
Parabéns!
Bjs
 
weg

embalada por dulce vim sentir o calor desse caminho e como sei que meu destino corre, também, igual a um rio percebo daqui a força da terra, força da/e pela vida ...força que você sabiamente me mostra através do seu "ver". obrigada por ver , obrigada por mostrar o amor, quente e doce pelo simples...continuo aprendendo, sentindo, vendo ...forma diversa, forma intensa...a vida a passar.
sinto-me enfeitiçada. e é bom.

beijos

della-porther
 
Della, obrigada pelas palavras carinhosas de sempre, mas tu também fazes parte dos que também amam a simplicidade e a natureza.

Não tenho nada a ensinar a ninguém.

:)

Beijo.

BFS
 
Se eu estivesse na área do cinema, este teu texto daria um óptimo guião para uma curta-metragem.

Só lhe mudaria o título; "Do Barro Nasceu o Homem".


Bom fim-de-semana!
 
:)

Obrigada e volta sempre, legível-
 
Weg, já deixei no girassol como se põe o videoclip no blog.
Mas o teu não precisa disso...
É lindo assim...
Bjinho
 
Obrigada, Girassol, já lá passo a copiar.

Também não tenho intenção de colocar aqui mas gosto de aprender.

:)

Bom domingo,amiga.

Beijo.
 
" eu amo o barro quente da planície como se amasse um homem"!!!!!!
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.