de Stefan Duncan Gallery

8.9.06

Moura.

Dave

*Como um fruto que mostra
Aberto pelo meio
A frescura do centro

Assim é a manhã
Dentro da qual eu entro

há uma luz nova na manhã. a chuva veio enfim. todo o verde em redor brilha sem precisar da crueza estival do sol .

vou aproveitar o fresco para caminhar pela estrada, abastecer-me e rever a cidade. temo um pouco. não venho há muito tempo a esta terra de mouras encantadas, que se atiravam do castelo por desterro demais.

de desterro eu sei, que desde a adolescência me desterraram para Lisboa. respiro noite e dia o fumo de automóveis. a poeira das obras que são intermináveis sem que o efeito se lhes veja sequer. basta que chova como agora e lá se vai tudo desfeito em água e a entupir as sarjetas juntando-se a jornais, pacotes de sumos e publicidade a rodos - árvores cortadas a desfazer no chão e a entupir os canos. cheiro nauseabundo da civilização.

em menina corria esta estrada ao desafio com os rapazes. vencia sempre, que tinha pernas longas que galgavam muros.

ainda isto por cá era uma vila, onde só a fábrica de azeitonas dava algum trabalho às mulheres, para além da ceifa e da monda. para os homens a pedreira. dorsos vergados de sol a sol, cantando como os escravos que criaram o jazz.

Moura.


sou moura e aqui estou de novo.

sonhando, porque mais não posso ter, com a panela de barro que lentamente preparava o jantar servido em malga grande. cheiro de lenha, chouriço, hortaliça, hortelã...

e as conversas lentas. até se arrumar tudo e ir até ao jardim ou sentar no peal da porta, pela fresca.

b'noite compadre!

b'noite, ti Agostinho!

avô, é verdade que o poço do quintal vai dar ao meio da vila?

até ao fim do labirinto nunca fui que não me deu para isso, mas que vai longe vai...foram os mouros...

os mouros! lá estou eu a sorrir na manhã fresca.

o Bush que se dane! correm-me no sangue os mouros de lenda e carne verdadeiras. ele não!



* Sophia de Mello Breyner


Comments:
(ando eu a estudar e a fazer post de história para a weg falar em mouros... ah!!!! danada!!!! essa mouraria pouca importância teve na nossa História! Coisa de Cristão que nos conquistou e lhes chamamos agora de nossos reis. Godos, neogodos, invasores o que eram. Lusitanos, isso sim. Ou semitas, púnicos, fenícios. Essa mouraria vem do sino que puseste no blog... raio de sino..)

Apontamentos históricos à parte, que nem de História sou (só teimosa) continuo a gostar do que leio, muito.

Civilização? Um filme que vi (e nome varri da memória)

- Desde os gregos o que conseguimos para além de tecnologia?

Nada.

Boa tarde para ti.
 
Bem, os sons de fundo são espectaculares, uma tempestade ao som de música alentejana... sempre me atraíram os cantares alentejanos, a pureza e autenticidade destas vozes é impagável.

Beijinhos.
 
Teresa, apesar da tua indiscutível cultura, sobre a infuência árabe no sul de Portugal eu, tinha muito a discutir contigo. lol

Tirei o raio do sino.

(tarda nada isto vira os discos pedidos lololol).

bj

---------------

Vida, obrigada, haja alguém que goste. :D

Bfs
 
pois pois, vamos discutir sim!!!!

ahahahaahahahha

Olha, a Vida está a agradecer os cantares alentejanos e a trovoada que eu também gosto!!!!!! :P

isso assim não vale! E eu não pedi nada!!!!

(amuo tipo Ave pequena....)

E os mouros que tanto falam em Portugal são a substituição das lendas pagãs!!!! :P (continuo teimosamente teimosa!!!!)
 
weg

caminhos...lembranças...visões de um tempo que permanecerá escondido...me levou a lembrar!!!
primorosa forma de contar...
a origem no sangue...belíssímo
e a trovoada e chuva então!!!!!

um bom fim de semana com weg a ver.

beijos mouros

della-porther
 
mouros
por cá passarm e deixaram algo

...

bonito este
:)
 
Moura encantada, cantares alentejanos...Lindo!
A trovoada? Passo....Foge...!
Cada vez prendes mais o meu interesse por este desfiar de lembranças...
Muito bonito, emocionante...
Bjs
 
... com todo este calor que tem estado, sabe-me bem a chuva que aqui cai e o cheiro a terra que não há na cidade. O grupo coral alentejano faz o resto da (refrescante) ilusão. Parabéns pelo cenário.
 
A (e)terna nostalgia do campo...
A (e)terna presença do alentejo...
A eterna presença do túnel entre o "castelo/convento/no alto" e o rio/o outro convento/no vale...
E a pedir... chuva!
Brindo com vinho à àgua da chuva! Que venha!

daniel
 
Muito interessante viajar nas tuas memórias...saio daqui sempre com um sorriso...

Doce e terno beijo
 
Como eu gosto do som arrastado dos cantares alentejanos! Aqui até os cheiros se sentem. **
 
gostei de caminhar pela estrada,
ler e sentir os cheiros dessa terra de mouras encantadas!

fazias o favor de enviar um pouco dessa chuva para estas bandas nortenhas?

:-)
 
A todos, que hoje é o meu dia de preguiça (tb tenho direito a poisar pelo caminho)o meu obrigada.

São deliciosos os comentários e as pessoas por detrás deles.

Bom Domingo.

Beijos.

Vivam bem!

:)
 
todos????

;)
 
ahahahahahahahah

sobretudo a Teresa, tinha-me esquecido.

;)

Beijo
 
ufa!!!

A Ave limpa com as penas as gotas de suor do medo aflição pavor que momentaneamente teve

Pensei que ias transformar este blog anti-passarada!!!

(alguém se lembra do Mário Soares quando adormeceu a ver os cantares alentejanos?)

que gosto. :P
(trovoada não. será isto o anti-ave??? fiquei desconfiada...)

As Lusitanas usavam mantilha...

a ave assobia distraída e... voa
 
Como sou portuguesa (herdado que foi este troço querido a Castela), e as antigas usavam mantilha, usei mantilhas pretas, brancas, consoante os humores, desde os 12, sem ser para ir à missa.

Mas no alentejo, ninguém ouviu falar dos lusitanos. E n se usam mantilhas. Aliás como noutras zonas do interior norte.

:P

Nã me convences quem usa as ervas e come borrego em lugar de vaca maluca? Os Lusitanos? Godos Visigodos ou Mouros? Hã?

Nã fujas Ave!

:D

PS quanto ao Marinho, para o fim adormecia até a ouvir a mulher... E se é difícil!!! lololol
 
mouras somos
.
.
.
irmãs das madrugadas
.
.
as duas e muitos mais
.
felizmente

e este cantar dolente tão a sul

um beje deixado um pouco mais a sul

( porque será que fico sempre séria quando aqui chego? não consigo ,de todo ,abardinar os teus posts ... será chamado do mesmo sangue ... mouro? )
 
:)

beje, moura.

nã fiques assim tã séria ca vida sã dois dias e o carnava sã três.Se nã brincamos um pedacito... ora lá perdemos um dia...

;)
 
weg: lá no Norte não eram Lusitanos (essa gente que se dá como minha família ahahahahahah)

Qu'eu vivi nesse teu Alentejo. Só não lá nasci porque a minha mãe não dava créditos a mão alheias (e quinze dias antes veio a fugir da parteira para Olisipo)

Beja e Ferreira (Ferrera?) :P

(tenho sangue de vagabunda, que a seguir fui para os Montes de Hermínios) Vim de lá com a iágua no sotaque mas com a revolução, foi como tu, toca a vir para o betão.

No alentejo onde há tantos vestígios e gente boa, como nas beiras onde vivi, só podiam ser mesmo gente de cá da Hispânia.

Boa tarde para ti!

(essa do Mário fez-me impressão, dava vontade de dar um estalo ao homem ahahahah)
 
Tu gostas disto, gostas gostas! lololol

Pois fica-te na tua mas ainda assim... quantos castelos mouros há em Portugal? Já viste que os castelos da bandeira têm o formato mouro?

Em Marrocos és convidada a ver os castelos Portugueses (poucos) que lá ficaram. Aqui há castelos mouros por tudo o que é canto... Pois.

quen sará cos fez?
Algum emigrante distraído.

:D beijo
--------

o Mário tb estava a dormir outro dia e sonhou voltar a presidente. Ele é muito dado às sestas.lololol

----------

Corrijo, no post para al-jib é carnaval.
 
ah mulher,

quantos castelos mouros há
quantos castros existiram?
(quantos fenícios cá andaram?)
Visigodos, contaram?

rimou?

Boa noite, Moura encantada!
 
se nã tivesse de me deitar cedo ainda te respondia em verso mas... pronto, leva lá o triciclo.

lololol

Boa noite Ave.

:D
 
(eu tinha lido ahahahaha olha olha... ainda não descobriste a curiosa que sou???)
 
Obrigado por teres utilizado algumas das minhas fotos neste maravilhoso mundo de sons, cores e texto que é o teu Blog
Fiquei contente.
Posso fazer um link do teu blog?
 
Ao meu jeito já passei lá pelos teus caminhos a agradecer.

:)

Obrigada por não te importares que as tenha usado sem pedir. Ele há para aí muito boa gente que faz "birra" se não lhes pedem.

Mas és alentejano e isso só por si faz a diferença.

Honra-me que me links. O teu blog já está na minha lista como podes ver.

Volta sempre.

Obrigada pelas fotos e as palavras.

M

:)
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.