de Stefan Duncan Gallery

26.9.06

-dizes um poema?


- aqui onde terra e céus são nossos e para ti? claro que sim.


*Um poema, Senhor!
Um nenúfar aberto neste lodo!
Ou então desça todo
O teu silêncio
Sobre o charco tranquilo.
- Um silêncio tão largo e tão pesado,
Que nenhum condenado
Possa ouvi-lo.

Alguns versos de limpa transparência
À tona da maciça podridão!
Branca e alta emoção
De purezas eternas reflectidas.
Ou então
Que o teu silêncio inteiro
Aquiete de todo o coração
Dos poetas - os sapos do atoleiro.


- ainda dizes tão bem como dantes dizias.

.jean vallette

- foi o que me salvou quando te ergueste e foste, noite já. subiste. só podes ter subido. senti, tu sabes isso. descobri antes da notícia chegar. senti na hora.


e disse poesia país dentro, desta não, da de criar raivas novas, sonhos novos. crenças sérias de futuro nas mãos. tu sabes como eram os nossos poemas da guerrilha-palavra.

jean vallette


assim reguei a semente que deixaste cair na abalada.

o tempo que sobrava e, ainda bem que pouco, regava-a eu com o suor do corpo no deserto da vida exterior que me envolvia. fui uma serpente no deserto sobrevivendo nem eu sei bem como ou de quê.

Stan Tramp

- da tua força anímica. sempre te falei dela. eras indestrutível.

- não, não era. era só a tua semente ao vento sem saber bem onde iria cair.

- mas ainda amaste.

- sim, um filho grande que me deu mais filhos. tinhas razão "tens vocação para mãe".

a raiva que me deu quando o disseste!

- tu e as tuas fúrias de adolescente. amava-as.

- eu amava-te a ti.

Stan Tramp

- minha querida! como conseguiste não fazer de mim o teu passado?

- tendo-te tão presente na memória tal este momento em que livres nos tocamos, como se tivesse sido ontem a separação.

- loucuras de poeta.

- não te rias. quando muito loucuras de sapo que um príncipe uma vez, num beijo, despertou.

*Migel Torga


Comments:
weguinha!

lindo ,como sempre .deixo.te um bêje ,levo tudo o mais .devolvo amanhã

:)

( sem juros )
 
lindo, sim!

o amor eterno. (não sei se o queria assim para mim, mas assim se fazem vidas diferentes)

Um beijo para ti!
 
weguinha

eu quero um amor assim ..... arrebatador, forte , infinito, que atravesse todas as minhas vidas.

lindo...intensa a sua forma de nos dize-lo.

beijos carinhosos

della
 
Weg,
Uma vez disseram-me que o o amor verdadeiro não é aquele que está sempre connosco, mas aquele que volta...
 
Diálogo intenso, amor transbordando...É bom ler um texto com tal paixão!
Bjs
 
Sonhos de poeta, isso sim! :) Espero que voltes depressa. **
 
M. Torga continua a viver na força telúrica dos seus poemas arrancados das fragas da montanha!...


Um beijo...
 
pausas.

1 bj*
 
esta hermoso aqui, cada dia esta mas bello
entre palabras e imagenes
me alegra mucho
un abrazo y todo mi cariño
besitos y que estes muy bien
 
Ler-te é como ouvir um violino ao longe ... é belo. Parabéns, linda!
 
Demora 'muito' esse refrescar?
 
"pausas" "demora muito"?

:)

"a distância contrói a relação como o silêncio constrói a linguagem" disse alguém que li na juventude. Acreditem, é verdade.

Mais uma vez um Obrigada a todos os que leram, comentando ou não.

Bjs.

Ps , a chuva começou ainda que tímida por aqui. ;)
 
psiu!

ó tu saltas cá p'ra fora ó arrebento as comportas e nem a água da chuva t'alimpa!

óviste ,meu lacrau do deserto?
 
Já assaltei melher desaferada!

Caramba que já nem pode a gente esperar por umas pingas de áuga para esfriar a carola!

:D

O alacrau saiu e arrequelheu-se. qu'isto inda nã é chuva nã é nada.

Bejes apressadinha.

:D
 
temos o lacrau constipado?
bem fêta!
na quizeste chuva?
aí tens!

vou.me a ler.te no post acima

( até pareço o papagaio ibérico a saltar de ramo em ramo )

bêjes
 
parei e pensei
era bom que o amor fosse sempre sem entraves e barreiras
...

:)
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.