de Stefan Duncan Gallery

15.8.06

partida

Ruip

num chão de chuva, brincando aos equilibristas no arame de pedra molhada, meio a um cerco de muros, fui-me embora.

sufoca-me a cidade. todas elas. se as voltar a cruzar é de passagem, se o caminho não der para as contornar ou para qualquer urgência. para as ver, nunca. são todas iguais. feitas cimento e gente em massa e argamassa de pensares.

de caminho contarei o que vir ou sonhar ou me surgir de novo. sim que o novo existe mas não nos monumentos visitados a comer e a correr, para dizer já vi mais este - viajei!

viajar é sentir. e eu vou tentar sentir, pela estrada fora.

Comments:
Acompanhar-te-ei por essa estrada, retirarei arames e muros de pedras para que a tua caminhada se faça com paz e amor. Sempre que o cansaço te vença terás o meu corpo para te aconchegares em infinita ternura... Sei, sinto-te...haja o que houver...

Doce beijo.
 
:)
 
cá vamos então. Siga a procissão. Também detesto comentários fechados eheheeh também tenho mau feitio (quem não tem?)
 
Lindo blog! Gostei!!!
 
Mais uma para o caminho...
Invisível...para te deixar livre!
Bjinho
 
Obrigada pelo convite...
vim ver esse caminho, vou tentar senti-lo atráves do seu olhar pelas estradas... profunda viagem interior ou estarei enganada?

um abraço

della-porther
 
Della, se para mim, saber viajar é sentir, a viajem terá forçosamente de ser sobretudo anterior.

:) bfs
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.