de Stefan Duncan Gallery

21.8.06

lixo

desperto. dobro o saco cama num automatismo normal às minhas manhãs. a minha mente fez-se para a noite, penso melhor no escuro desde sempre.

só agora olho em volta. há cercas em redor de matagal. os homens fazem-se donos de tudo o que puderem. o celeiro tinha a porta trancada, esqueci como os tempos mudaram desde que dormi num, pela última vez.

gerard laurenceau

vem da casa um odor bom a café. é um cheiro de infância. de mãe a preparar as saídas para a escola.

- bebe o leite rapariga, daqui não sais em jejum!

- não gosto de leite...

- a mãe pôe um bocadinho de café e já disfarça. estás tão magrinha.

esforço no beber mas o cheiro era quente, amistoso, matinal.
o cheiro do café do lápis mordiscado do giz e dos pinhais, mistura-se nos meus sentidos de hoje. voo no tempo para as manhãs das corridas ladeira abaixo até ficar sem fôlego e, se era inverno, apanhando o sol ainda a dormir.

corria contra a manhã, em desafio.

Kevin Brett

apetece-me café. para esquecer isso começo uma corrida com um pensamento alegre:
afinal a minha mãe gostou de mim!

quase tropeço e caio. um velho televisor jogado fora no meio das árvores. lixo da civilização.

mudo rapidamente de caminho, vieram-me à memória os telejornais de sangue guerra e aquecimento do planeta. de crianças violadas, de espancamentos nas ruas por tostões, de lixo. de outro lixo.

tenho sorte em ter um bom olfacto, ao inspirar, retenho ainda o bom cheiro ao café da manhã, que não bebi.

Comments:
a pureza ,quase aparente ,das recordações de infância misturadas com as realidades hodiernas
.
.
.
mais um bom texto em sequência
.
.
dum trompete a condizer
.
belíssimo

um beijo!
 
(cheiro a relva cortada... terra molhada, manhãs de nevoeiro)

As minhas memórias não são olfactivas, são visuais.

(nem percebo quando o leite está estragado...)

É engraçado o teu método (imagino que é assim) de criares as histórias através de umas quantas fotografias!

Gostei!
 
al-jib, passando o exagero amigo,muito obrigado.

:)

..............

Teresa, não é bem esse o método, o blog tem um tema e gasto mts horas "livres" em pesquisa de fotografias que, mais cedo ou mais tarde enquadro.


Obrigado

:)
 
a infância, a rebeldia a teimosia de não querer e não gostar mas sem mal

até chegar à realidade que fazemos

gostei (consegui lembrar os que a minha mãe me fazia)

:)
 
Sim...a ler pelo q escreves já vi que tens os sentidos bastante apurados :)
Dark kiss
 
Recordações de infância...Já não posso dizer o mesmo...
Gostei!
Beijinhos
 
(ops... o método era ao contrário... sorry!)
 
My weg, boa tarde!
Nem sabes o gosto com que te li...
Tudo tão simples, tão claro... Foi como se fosse de mão dada contigo!
Obrigado!

daniel
 
Obrigada pelas palavras Daniel. Ainda bem que a simplicidade se sente, nunca quis ser diferente do que sou - simples. :)

Também é com mt prazer que te leio sempre.

:)
weg
 
Caí aí por acaso e perdi-me no que escreves...
Parabéns.
 
Obrigado Ana.

Bom dia e volta sempre que quiseres, já sabes o caminho.

:)
 
n tenho palavras, apenas adorei a tua visita q me permitiu ver tanto carinho.
1 bj*
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Divulgue o seu blog!

Estou no Blog.com.pt

blogwise

Creative Commons License
Esta obra está¡ licenciada sob uma Licença Creative Commons.